A produção da metrópole no período atual: Estado, corporações e organizações de solidariedade

OBJETIVOS:
Considerando a formação do período atual, identificar e analisar os principais tipos de grupo que produzem políticas na cidade, os embates, associações, cooperações  e conflitos que explicam a dinâmica na produção do espaço urbano.

JUSTIFICATIVA:
As transformações ocorridas no capitalismo desde a década de 1970 conduziram a formação de um novo período (ora em curso) que mudou a lógica de organização e funcionamento dos Estados, das corporações e também de uma série de movimentos sociais, tomados aqui em sentido amplo, como organizações de solidariedade. As metrópoles acompanham essas transformações, reunindo de modo privilegiado esses três grupos de agentes e, além do papel de comando nos territórios nacionais, passam a integrar a rede global, tornando-se elementos essenciais na dinâmica do período atual. É fundamental, pois, a compreensão da constituição desses três grupos e de seus papéis na produção e regulação da metrópole, e é esse debate que o curso propõe.

CONTEÚDO (EMENTA):

  1. Precedentes da formação do sistema internacional contemporâneo
  2. Formação do sistema internacional contemporâneo
  3. Internacional, global e mundial: a ordem, o sistema e a solidariedade
  4. O fato metropolitano e seu desenvolvimento até a década de 1970
  5. Emergência das redes: as metrópoles como lugar privilegiado para uso das novas tecnologias
  6. Fim do monismo jurídico e o início do pluralismo jurídico: o Estado, as corporações e as organizações de solidariedade e as novas formas de regulação no território
  7. A metrópole como lócus privilegiado para desenvolvimento e ação dos novos agentes da regulação

BIBLIOGRAFIA:
ANTAS Jr. R. M. Território e regulação – espaço geográfico, fonte material e não-formal do direito. São Paulo: Humanitas, 2005.
ANTAS Jr., R. M. “Elementos para uma discussão epistemológica sobre a regulação do território”. In: Geousp, 16, 2004, pp.81-86.
BERNARDES, Adriana. “A nova divisão territorial do trabalho brasileira e a produção de informações na cidade de São Paulo (as empresas de consultoria)”. In: SANTOS, Milton; SILVEIRA, María Laura. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001. pp. 413-432.
CASTELLS, Manuel. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janero: Jorge Zahar Ed.: 2003.
CHESNAIS, François. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã, 1996.
CORRÊA, Roberto Lobato. Metrópoles, corporações e espaço: uma introdução ao caso brasileiro. In: Castro, Gomes e Corrêa (orgs.). Questões atuais da reorganização do território. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996.
DEZALAY, Yves. Marchands de droit. Paris: Fayard, 1992.
DIAS, Leila Christina. “Redes, emergência e organização. In: Castro, Gomes e Corrêa (orgs.). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.
FARIA, José Eduardo. “Direito e globalização econômica: notas para uma discussão”. In: Estudos Avançados. São Paulo: Instituto de Estudos Avançados, 1996, vol. 10, n. 28.
FARIA, José Eduardo. O Direito na economia globalizada. São Paulo: Malheiros, 1999.
FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: Nau, 1996.
GOTTDIENER, Mark. “A teoria da crise e a reestruturação sócio-espacial: o caso dos Estados Unidos” in VALLADARES,L e PRETECEILLE,E., Reestrturação Urbana – tendências e desafios, São Paulo: NOBEL/IUPERJ 1990
GOTTDIENER, Mark. A produção social do espaço urbano. São Paulo: Edusp, 1993.
GUIDENS, Anthony. As conseqüências da modernidade. São Paulo: Universidade Estadual Paulista, 1991.
HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.
HARVEY, David. Espaços da esperança. São Paulo: Loyola 2004.
JACOBS, Jane. Morte e vida das grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, 2000.
LANGENBUCH, Jurgen Richard. A estruturação da Grande São Paulo: estudo de geografia urbana. São Paulo, Biblioteca Geográfica Brasileira, 1971.
LEFEBVRE, Henri. Espaço e política. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.
MATTELARD, Armand. A globalização da comunicação. Bauru, EDUSC, 1996.
MORAES, Antonio C. Robert. Território e história no Brasil. São Paulo: Annablume, 2002.
RIBEIRO, Luis César de Q. (org.). O Futuro das Metrópoles. Desigualdades e Governabilidade. Rio de Janeiro: Revan, 2000.
SANTOS, Boaventura de Sousa. “O discurso e o poder: ensaio sobre a sociologia da retórica jurídica”. In: Boletim da Faculdade de Direito. Universidade de Coimbra, número especial em homenagem ao Prof. Dr. J. J. Teixeira Ribeiro, Coimbra, 1979, pp. 227-341.
SANTOS, Milton e SILVEIRA, María Laura. O Brasil:território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro/São Paulo: Record, 2001.
SANTOS, Milton. “Sociedade e Espaço: a formação social como teoria e como método”. In:: Boletim Paulista de Geografia. São Paulo: Associação dos Geógrafos Brasileiros, seção São Paulo, junho de 1997, n. 54, pp. 81-100.
SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado. São Paulo: Hucitec, 1988.
SANTOS, Milton. Por uma economia política da cidade. São Paulo: Hucitec/Educ, 1994.
SANTOS, Milton. A natureza do espaço. Técnica e Tempo – Razão e Emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.
SANTOS,Milton. “A metrópole: modernização, involução e segmentação” in VALLADARES,L e PRETECEILLE,E. Reestrturação Urbana – tendências e desafios. São Paulo: NOBEL/IUPERJ 1990
SILVEIRA, María Laura. “Concretude territorial, regulação e densidade normativa”. In: Revista Experimental. São Paulo: Laboplan – Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, março de 1997, n. 02, pp. 35-45.
SILVEIRA, María Laura.”Metrópolis brasileñas: un análisis de los circuitos de la economía urbana”. In EURE Vol. 33, no. 100, 2007, pp. 149-164.
SOJA, Edward.Geografias Pós-Modernas: a reafirmação do espaço na teoria social crítica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993
SOUZA, Maria Adélia de. “A metrópole global: uma reflexão sobre o espaço intrametropolitano. São Paulo em Perspectiva, n. 2 (vol. 9), São Paulo: Seade, 1995.

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO:
Seminários durante o curso e entrega de trabalho final que será um texto (entre 10 e 15 p.), cujos temas serão definidos no decorrer do curso.